uma carta escondida no quarto



Não sei bem a quem me estou a dirigir nesta carta, provavelmente aos meus pais.

Eles são os meus grandes pilares nesta fase da minha vida. Eu quero agradecer-lhes por me terem ensinado a ser a menina que sou hoje, e não uma qualquer: uma menina vulgar e oferecida, que é o que mais vejo por aí. À beira delas, eu sou uma princesa.
Quero que os meus pais tenham orgulho de mim por não sair à rua vestida como uma vagabunda, não fumar tabaco ou drogas, não beber bebidas alcoólicas só para parecer bem, não me portar como uma vadia e andar com todos numa só noite. Gostava que os meus pais dessem valor ao facto de eu ser como sou, visto que esta sociedade cada vez está a ficar pior neste sentido. Como é possível raparigas e rapazes com pouco mais de 10 anos quererem sair à noite, dar festas, encontrar o grande amor da vida deles, fumar, drogarem-se, dar nas vistas, fazer piercings e tatuagens, rapar o cabelo, vestir roupas como os adultos e acharem que já têm idade para isso? Eles nem sabem o que isso é. Eu tenho pena deles, tenho mesmo. Parece que todos querem crescer muito rápido e tornarem-se adultos aparentemente, mas no interior continuam umas crianças e sem mentalidade. Só ligam à embalagem e não ao interior. E quando ouvem um "não" parece que o mundo vai desabar. E as meninas? Essas princesas querem-se tornar rainhas prematuramente, sofrem tantos desgostos de amor e acham que encontram o grande amor da vida delas umas quantas vezes por ano. O mundo não acaba. Temos tempo para tudo.
Eu também sou adolescente. Eu choro por tudo e por nada. Eu rio por tudo. Eu gosto de ligar os fones e ouvir música, esquecendo o mundo. Eu tinha o vicio de roer as unhas. Eu gosto de estar com os meus amigos. Eu tenho amigos coloridos. Eu apaixono-me várias vezes. Eu tenho ídolos. Eu não durmo muitas noites a pensar em coisas que acontecem no dia-a-dia. Eu tenho uma grande vida social no computador. Eu gosto de mil e uma coisas, mas odeio outras tantas. Eu tenho a mania que mando. Eu tenho também a mania da perseguição e que estão todos contra mim. Eu tenho "pancas" estranhas. Eu sou viciada em sms e televisão. Eu adoro dar nas vistas. Eu tenho muitas mas muitas manias que não convém aqui mencionar. Tenho também segredos. Acredito demais nas pessoas e desiludo-me. Mas faço tudo o que uma adolescente faz. Não sou nenhuma retardada. E por isso, só espero que tenham orgulho em mim. 
Com amor, Beatriz

23 comentários:

  1. Esta carta está mesmo linda. Aposto que eles têm o maior orgulho em ti querida :)

    ResponderEliminar
  2. Se não tiverem, o que orgulho que eu sinto por eles chega :) De nada.

    ResponderEliminar
  3. Então somos parecidas princess *-* Sim, claro que têm :)

    ResponderEliminar
  4. E vão ter sempre orgulho de ti, pais, são pais!
    também gosto muito do teu blog, os teus textos são fantásticos :') sigo-te *

    ResponderEliminar
  5. também gostei muito do teu blog e é muito bom saber que gostaste, também te segui (:

    ResponderEliminar
  6. Obrigada! É tão bom saber que gostam daquilo que escrevemos.. gosto mesmo muito de o saber. Vou seguir também, adorei :)

    ResponderEliminar
  7. oh, já há poucas assim ! :x infelizmente :/
    Obrigada pelo teu comentário (:

    ResponderEliminar
  8. estás a brincar querida? eu ADORO o teu blog, está perfeito *-* sigo*

    ResponderEliminar
  9. Awwww querida, deixaste-me sem palavras. Omg, foi a coisa mais querida que já me disseram por estes lados. Obrigada, a sério. Do fundo do coração!

    ResponderEliminar
  10. que linda miúda *-*
    és mesmo simpática, acredita que também escreves mesmo bem. Mas ouvir isso sabe muito bem :')

    ResponderEliminar
  11. pais são pais, têm sempre orgulho de nós :)
    obrigada, também gostei do teu

    ResponderEliminar

expressa-te através das palavras e deixa-te levar nelas ♥