pursuit of you




De manhã, uma corrente gélida envolve-me, um arrepio surge... É nada mais que a tua alma invadindo o meu ser, despertando em mim todos os sentidos. Acordo, e vejo logo um vazio, sinto a falta da tua presença a meu lado. Como eu gostaria que estivesses ali e pudesse eu ver o teu sorriso instantâneo, que além de contagiante é o suficiente para fazer o meu dia valer a pena, ainda no seu ínicio. Como eu gostava de estar abraçada a ti, sentir-me pequena no meio da tua imansidão de amor, de maneira a que levantar da cama seja ainda mais dificil do que o habitual. Como eu gostava de acordar a ouvir a tua dócil voz, sentir o teu suave toque, admirar a tua expressão, o teu respirar, o teu olhar meigo, o bater do teu coração que faz o meu acelerar o passo, o sentir dos teus secos lábios, tímidos, calmos, e sorrir com o teu mau humor matinal. Como eu desejava acordar com a cabeça sobre o teu ombro, de um jeito subtil, e dessa forma poder chorar de alegria ou felicidade, conforme o meu estado de espírito. Como eu gostava de tanta coisa, principalmente aquelas coisas que tu, meu amor, conseguiste dar cor e real sentido. Pudesse eu realizar todos os teus pedidos e  desejos, amando-te do meu jeito, estranho, especial. Como eu gostava que me ensinasses tantas coisas que eu não sei, e que só tu me dás autoconfiança para continuar aprendendo. E sabes, eu também gostava que entendesses as minhas atitudes inesperadas, pois tudo o que faço é por ti, só por ti. Porque nenhuma razão é tão forte como a tua existência, e porque cada atitude que tenho, faço-a pensando em ti umas 60 vezes por minuto. Nenhum segundo de vida é bem vivido se não estiver conjugado a ti. Conseguirei eu algum dia manter-me ocupada com outros pensamentos, que não a tua imagem e o teu bem-estar. Talvez sim, talvez não. Penso, sonho, com cada recanto do teu corpo e cada detalhe, que não só é tão bem definido e particular mas também me faz ansiar por mais momentos junto a esse teu corpo colossal. Gostava de navegá-lo, um dia, e que me deixasses espreitar, em segredo, o que está sob essa parede que queres mostrar ser indestrutivel. Por que finges? Por que foges? Por que tentas a tempo todo ser quem queres ser e não quem és na realidade? Fazes papel de insensivel, duro, antipático, todas as ideias feitas que se pensam sobre ti e de todos os outros que agem como tu. Não adianta, conheço-te de olhos ilesos. Ilude-me, mente-me com uma certa arte, não vai resultar. Sei que tens ínumeros sentimentos, mal explicados e outros não, por mim, tão profundos e estranhos mas não inalcançáveis. Descobri o teu ponto fraco. Quando te aproximas, consigo senti-los, suspensos sobre ti. Acredito no nosso amor, e em todos os seus valores. E acredito em mais uma coisa, meu amor: Sei que gostarias, tal como eu, que todas estas coisas se tornassem reais e fizessem parte da nossa inacabável história. Quem sabe um dia, o destino nos surpreenda. P.S: I love you.

16 comentários:

  1. Que texto mais lindo, tu escreves mesmo bem *-*

    ResponderEliminar
  2. Que o destino torne todos esses sonhos reais. <3

    ResponderEliminar
  3. é bom saber isso, muito obrigada princesa (:

    ResponderEliminar
  4. E 200! Escreves muito bem!
    Obrigada, também gosto muito do teu, espero não desiludir.
    Beijinhos* :)

    ResponderEliminar
  5. muito obrigada mesmo. escreves tão bem, e mostras o que sentes em cada palavra.

    ResponderEliminar
  6. óhh obrigada :)
    O teu blog é igualmente espantoso! Sigo! :)

    ResponderEliminar
  7. Obrigada!
    Eu também gosto muito do teu blog, gosto mesmo!!
    Bom natal e boas festas!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  8. omd muito obrigada mesmo, é realmente muito bom saber isso :)
    adorei o teu blog e faço das tuas as minhas palavras.
    já seguia linda *

    ResponderEliminar

expressa-te através das palavras e deixa-te levar nelas ♥